Paróquia São Jorge Mártir
 
Buscar no site

Ajude a divulgar nosso site votando no concurso Top Catolicanet. É só clicar na figura abaixo:
Existem
15 usuários online


Curso: O Catecismo da Igreja Católica

Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

TEMA 34: A UNÇÃO DOS ENFERMOS

INTRODUÇÃO:

Com o sacramento da Unção dos enfermos a Igreja acode em ajuda a seus filhos que começam a estar em perigo de vida, por enfermidade grave ou velhice. Nestes momentos difíceis e importantes da vida - quando ventila-se o destino eterno do ser humano - , Deus não nos deixa sozinhos, mas faz-se presente para nos socorrer com sua graça e sua misericórdia. O sacramento da Unção dos enfermos proporciona ao cristão a graça para vencer as dificuldades inerentes ao estado de enfermidade grave ou velhice. Uma coisa que deve preocupar a qualquer cristão será a de receber este sacramento - ele ou o familiar ou o amigo - no momento oportuno, valorizando a ajuda que pode prestar a quem o necessita.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. O cristão frente à enfermidade e à morte

A morte chega inevitavelmente a cada ser humano, porque, - queiramos ou não - é o desenlace natural da existência. Normalmente, chega com a enfermidade grave ou por causa da velhice. Para enfrentar com dignidade e proveito este momento da vida, Deus socorre o cristão com a Unção dos enfermos, remédio e ajuda poderosa para saber levar com Cristo a enfermidade e sair ao passo da morte fortalecidos com a graça especial do sacramento. Mesmo que encontre ainda em alguns fiéis uma certa resistência, já que não querem encarar a realidade da morte, a prudência cristã ensina-nos que devemos estimar e desejar este sacramento como um presente da misericórdia de Deus. Não estaria mal pedir cada dia a graça de receber devidamente o sacramento da Unção dos enfermos.

2. O que é a Unção dos enfermos

Jesus Cristo deixou-nos um remédio salutar para toda e qualquer necessidade da vida sobrenatural, e nos últimos momentos da existência o demônio monta uma grande batalha, necessitando a alma de auxílios especiais. Estes auxílios foram vinculados por Jesus Cristo à Unção dos enfermos, sacramento instituído para o alívio espiritual e também corporal do cristão gravemente enfermo. Por este sacramento o cristão se une a Jesus Cristo para ter os mesmos sentimentos dele frente à dor e à morte.

3. Jesus Cristo instituiu este sacramento

O sacramento da Unção dos enfermos foi instituído por Cristo, ainda que quem o promulgou tenha sido o Apóstolo São Tiago, que mostra a Tradição da Igreja quando diz: "Alguém de vós está enfermo? Chame os presbíteros da Igreja e orem sobre ele, ungindo-o com o óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o aliviará. E se tiver algum pecado, lhe será perdoado" (Tiago 5, 14-15).

4. Efeitos deste sacramento

A graça especial do sacramento da Unção dos enfermos produz, como efeitos:

  • a união do enfermo à Paixão de Cristo, para o bem próprio e de toda a Igreja;
  • o consolo, a paz e o ânimo para suportar cristãmente os sofrimentos da enfermidade ou da velhice;
  • o perdão dos pecados, se não pode confessar-se e contando com que esteja arrependido de suas culpas ao menos com a dor de atrição;
  • o restabelecimento da saúde corporal, se isto for conveniente à saúde espiritual. Por isso não se deve espera para administrar o sacramento que o enfermo esteja já em agonia; o lógico é que esteja plenamente lúcido. Sem dúvida, se já perdeu o conhecimento, tem direito a que se administre o sacramento e assim deve ser feito, ainda que sob condição, na dúvida de que ainda esteja vivo.
  • A preparação para a passagem à vida eterna. A propósito da Unção, é oportuno recordar que a Igreja ajuda os enfermos também com o Viático. Os bons cristãos devem preocupar-se de que os doentes recebam com freqüência a Sagrada Comunhão e, se a enfermidade é grave, a modo de Viático, que significa "preparação para a viagem": a viagem para a vida eterna.

5. Modo de se administrar este sacramento

A administração deste sacramento tem diversas cerimônias. O essencial da celebração - assim como para os demais sacramentos - é a aplicação da matéria (santos óleos) e a forma (palavras que o ministro pronuncia, enquanto unge o enfermo. O sacerdote unge com o óleo abençoado (azeite de oliveira consagrado pelo bispo na quinta-feira santa, daí o nome "santos óleos") na fronte e nas mãos do enfermo, enquanto diz: "Por esta santa Unção e por sua misericórdia, o Senhor venha em teu auxílio com a graça do Espírito Santo, para que liberto dos teus pecados, Ele te salve, e na Sua bondade, alivie os teus sofrimentos". Responde-se: "Amém". Em caso de necessidade, o presbítero pode abençoar o óleo que será usado na Unção.

6. É preciso preparar-se para a morte

Deus vem em nossa ajuda a cada momento, como Pai que nos ama e nos quer felizes na terra, e depois eternamente no céu. Ter estudado este sacramento deve fazer-nos pensar na realidade da morte, que recorda a necessidade de viver sempre na graça de Deus, crescer na vida cristã, aceitar os sofrimentos que tenhamos nesta vida e receber com alegria a morte, sabendo que é o passo necessário para nos encontrarmos com Deus no céu.

7. Propósitos de vida cristã

  • Oferecer com alegria as dores e sofrimentos da vida, especialmente a enfermidade, sem medo da morte.
  • Agradecer e estimar o sacramento da Unção dos enfermos, procurando avisar o sacerdote quando algum familiar ou amigo estiver gravemente enfermo.

Esta página é melhor visualizada na resolução 800x600 ou maior.
voltar
  ©Paróquia de São Jorge Mártir
     Diocese de Santos - SP - Brasil
Visitas
desde 11/11/2010:
Aqui em Santos/SP:
Adicione nosso Site aos seus favoritos Faça de nosso Site sua página inicial Envie um e-mail para nós

Última atualização: 3/10/2005

By Maurício S. Canavese