Hérnia – o que é, sintomas, tratamento, causas e cirurgias

A hérnia é uma condição que se caracteriza pelo deslocamento de um tecido/órgão ou parte dele para uma cavidade anormal no corpo. Quando ocorre, a região afetada ganha uma protuberância, possibilitando identificar, claramente, um crescimento anormal da área.

Sintomas

  • Dores na área afetada, que ficam mais intensas ao realizar esforços físicos ou então ficar em pé por um logo período, tossir ou fazer esforço para evacuar;
  • Inchaço na região da hérnia, deixando a pele com uma protuberância/irregularidade fácil de ser notada;
  • Constante sensação de náusea e vômito. Estes dois sintomas, inclusive, costumam ser comuns em casos de hérnia abdominal em estágio mais avançado, quando há necrose do tecido ou rompimento de parte do intestino.

Áreas de incidência

Abdômen: trata-se da área mais comum. Segundo o Ministério da Saúde, entre 3% a 8% dos casos de hérnia no Brasil ocorrem na região abdominal.

Existem quatro tipos de hérnia que afetam essa área.

Uma delas é a hérnia inguinal, que ocorre entre a parte inferior do abdômen e a virilha. Esta variação atinge até 80% dos pacientes, sendo, em sua maioria, homens, sobretudo, os que estão no início da vida profissional. Em determinados casos, a hérnia pode expandir-se e atingir os testículos, passando a receber o nome de inguinoescrotal.

Outro tipo é a hérnia umbilical, que ocorre na região da cicatriz umbilical. Curiosamente, essa variante é bastante frequente em recém-nascidos e bebês um pouco maiores.

Há, ainda, quem tenha a hérnia epigástrica, que tem incidência na linha acima do umbigo, atingindo homens e mulheres de maneira igual, tanto adultos como terceira idade;

Coluna: é a famosa hérnia de disco, em que ocorre um abaulamento de um ou mais discos vertebrais, causando dores nas costas e problemas ortopédicos de pequena a grande gravidade;

Músculo: ocorre durante a prática de atividades físicas. O músculo incha ao ponto de criar uma protuberância, deixando irregularidades pela perna ou pelo braço. A hérnia muscular tende a desaparecer ao fazer repousos, mas há casos mais graves que necessitam de acompanhamento médico;

Cérebro: a hérnia cerebral pode ser causada pelo aumento da pressão intracraniana ou algum defeito na formação do sistema cerebral. De modo geral, nessa variante há o avanço do tecido ou líquido do cérebro, ou, ainda, de vasos sanguíneos, para espaços/cavidades não normais;

Cicatriz: também chamada de hérnia incisional, este tipo ocorre com incisões cirúrgicas. Tende a afetar mais pessoas com idade avançada, especialmente aquelas que já passaram por mais de uma cirurgia.

Causas

Segundo especialistas, algumas situações podem levar ao aparecimento da hérnia, entre as quais:

  • Levantamento de peso em excesso, seja durante a prática de exercícios ou no trabalho, caso tenha um cargo operacional que exija grande esforço físico;
  • Tosse excessiva ou fazer força para evacuar, especialmente quando essas situações são frequentes, aumentando a pressão interna no corpo;
  • Pré-disposição ao problema, como pessoas com má formação congênita cerebral ou com fibrose cística.

Diagnóstico

A hérnia costuma ser uma condição simples de ser identificada pelo paciente, por conta da protuberância que costuma deixar na pele. Mas, o diagnóstico sempre deve ser feito por um profissional.

O clínico geral é o médico mais indicado para diagnosticar a doença. Raramente é preciso realizar exames laboratoriais, porém, pode ser que o especialista solicite uma ultrassonografia para identificar a extensão do problema.

Tratamento

O primeiro cuidado adotado pelo médico é o monitoramento da hérnia, especialmente quando diagnosticada em estágio inicial. Esta medida é comum porque, em alguns casos, o tecido deslocado pode retornar naturalmente ao seu local original.

Caso não haja a solução natural do quadro, o tratamento padrão é a cirurgia, que fará o tecido saliente retornar ao seu lugar original. Há dois tipos de intervenção cirúrgica, sendo a mais tradicional a aberta, em que é feita uma abertura cirúrgica na região afetada.

Outro tipo de cirurgia que pode ser indicada é a laparoscopia, que tende a ser a mais recomendada porque é a menos invasiva. Utiliza-se câmera e tubos finos inseridos em cortes pequenos no paciente para empurrar o órgão ou tecido ao seu lugar original.

Durante a cirurgia, também é feito o fechamento da cavidade da hérnia, utilizando uma tela que possui material resistente. Assim, elimina-se o risco de haver uma reincidência da condição.

Eventualmente, o médico pode indicar medicamentos específicos, como analgésicos, para aliviar sintomas da hérnia, possibilitando que o paciente tenha melhor qualidade de vida até o momento da cirurgia para correção do problema.