Como Acabar Com a Celulite: Causas e Dicas

Dermacaps

Saber como acabar com a celulite abrange mais do que simplesmente entender sobre massagens, pois as massagens apenas não removerão a celulite. Para se livrar da celulite, você necessita lutar, de modo holístico, para recuperar as curvas lisas.

Informações gerais sobre a celulite

Muitas pessoas sofrem de “formação de celulite”, o que é realmente uma formação tóxica, manifestada como pele de casca de laranja e coxas de ricota.

Você nem precisa ter sobrepeso ou ser obesa para ter celulite – pessoas magras e esbeltas sofrem tanto com a celulite, como suas contrapartidas mais gordinhas.

Não importa o quão perfeito ou sexy seja seu corpo – a celulite é feia em qualquer pessoa e não contribui com a saúde do colágeno, elastina, tecidos conjuntivos ou adipócitos na sua pele. O principal jeito para ter como acabar com a celulite é desintoxicar o organismo.

Livrar-se e combater a celulite pode ser fácil, mas necessita dedicação e trabalho consistente. A celulite é, principalmente, causada pela formação de toxinas em seu corpo, com seu corpo não as eliminando e resultando em celulite. É diferente de gordura. A gordura é lisa, quando pressionada, ao passo que a celulite forma o efeito de furinhos – causando a “pele de casca de laranja” e “coxas de ricota”.

Curas milagrosas são oferecidas por muitas fontes para combatê-la, mas não existem milagres – embora ela possa ser removida. Você precisa aprender como acabar com a celulite tratando-a constantemente, quebrando-a, desintoxicando o organismo e alterando seu estilo de vida, para prevenir futuras formações.

O ingrediente principal para combater, remediar, curar e eliminar a celulite é livrar-se das toxinas e da formação tóxica e garantir que novos acúmulos de toxinas não ocorram em seu organismo e que resíduos sejam propriamente eliminados.

Desintoxicar seu organismo é vital, ao iniciar tratamento e terapia anticelulite. Ao desintoxicar seu organismo, todas as toxinas devem ser removidas, para permitir que ele funcione de modo próprio novamente, livrando-se da formação dos produtos residuais quando a oxidação ocorre em seu corpo. Essas toxinas entopem seu organismo saudável, formando a celulite.

Desintoxicar, combater e cuidar da celulite é um processo a se passar e duas áreas necessitam de atenção, para se alcançar um corpo livre de toxinas e anticelulite, cheio de saúde e vitalidade, uma pintura de corpo perene, anti-envelhecimento.

Onde se encontra a celulite no corpo?

A gordura normal pode ser encontrada por todo o corpo, ao passo que a celulite tende a se instalar nas seguintes áreas:

  • parte interna, superior e posterior das coxas
  • parte póstero-superior dos ombros
  • tornozelos
  • parte interna e traseira dos braços
  • nádegas
  • parte inferior das costas
  • quadris
  • barriga

Onde a celulite se encontra, você pode também experienciar futuros problemas com vasos sanguíneos e/ou veias varicosas.

Como saber se você tem celulite?

Pressione o tecido entre seu dedão e dedo indicador ou entre as palmas de suas duas mãos e, se for gordura “normal”, a aparência será lisa, sem ondulações ou furinhos, mas, se aparecerem ondulações ou furinhos, semelhantes a “casca de laranja” – você tem celulite. Quando pressionar o tecido, ele será sensível onde houver celulite.

Celulite – como é formada?

Toda musculatura no corpo é coberta com uma camada de gordura, tecido conjuntivo, com variações em espessura, e é envolta por um líquido – suprindo essa “cobertura” com nutrientes e removendo produtos residuais. Há alguns profissionais da saúde que não acreditam no termo “celulite”, mas há outros que adotam o termo e a condição.

Esse tecido gorduroso é posicionado por uma rede de fibras e, quando o sistema funciona bem, todos os produtos residuais são removidos deste sistema – resultando em curvas corporais lisas.

Quando o sistema de remoção de resíduos falha, produtos residuais começam a se formar e o tecido conjuntivo fica saturado de líquido, o que o engrossa e o endurece, portanto – formando bolsos endurecidos que inflam, produzindo o efeito  “casca de laranja” ou “ricota”.

Fatores que contribuem

Os seguintes são fatores que contribuem na causa da celulite:

  • Ingestão de água insuficiente
  • Pouco ou nenhum exercício
  • Problemas intestinais ou digestivos
  • Tensão e stress
  • Poluição
  • Respiração incorreta
  • Fadiga
  • Hábitos alimentares ruins
  • Ciclos hormonais

Formação de celulite e toxinas

Nosso organismo elimina resíduos de modo eficiente, mas se ocorre algum problema nesta eliminação, a celulite pode ser um resultado. A ineficiência do sistema em lidar com o “envenenamento” de nosso organismo é, normalmente, causada por excessiva indulgência e por um estilo de vida incorreto.

Os fatores seguintes devem ser mantidos sob controle:

  • álcool
  • café e chá
  • temperos
  • cigarros
  • dietas rápidas
  • gorduras e cremes
  • alimentos fritos ou oleosos
  • medicamentos de prateleira, como dietas líquidas e pílulas, pílulas estimulantes (anfetaminas), medicação para dormir e pílulas diuréticas

Quem tem celulite?

A celulite aparece, normalmente, a partir dos 14 anos, mas pode acontecer em qualquer idade e, apesar de não ser hereditária, você tem mais chances de tê-la em razão de hábitos adquiridos de seus pais.

A celulite, por vezes, aparece após a gravidez (ou ao se tomar anticoncepcionais), quando o organismo é inundado por estrógeno ou após uma experiência traumática que interfira na circulação sanguínea ou, simplesmente, pode ser por formação de toxinas, como mencionado acima.

Embora seja um problema amplamente feminino, homens também podem ter celulite e, normalmente, as têm nas áreas da barriga e do pescoço.

O que fazer para saber como acabar com a celulite

Para recuperar seus suaves contornos anteriores, é necessário liberar os materiais residuais encapsulados no tecido e, efetivamente, remover esses resíduos do organismo, enquanto o tecido conjuntivo retorna à sua normal elasticidade.

Nas dermes e hipoderme, os adipócitos (células de gordura) armazenam os triglicérides (conteúdos gordurosos), absorvidos através das refeições. Os adipócitos estão espalhados pelo corpo todo e acumulam-se em certas regiões. Este armazenamento é feito em preparação para o período de fome. Os adipócitos irão então liberar os triglicérides, na forma de ácidos graxos e glicerol.

O tecido conjuntivo e a pele são irrigados através da rede capilar, de modo a fornecer os componentes indispensáveis ao tecido e para regular a temperatura corporal. Como os períodos de fome são raros, o corpo estoca triglicérides em excesso e ganhamos peso.

Adipócitos aumentam em tamanho e número e, portanto, criam celulite:

  • Eles pressionam os vasos sanguíneos, os capilares e o sistema linfático, reduzindo as trocas nos tecidos conjuntivos;
  • Eles estocam uma quantidade maior de triglicérides, aumentando seu tamanho. Isso aumenta a má circulação e o acúmulo de líquidos, em função da redução da drenagem linfática.

Quando isso ocorre, resíduos, toxinas e líquidos se acumulam e o tecido conjuntivo se torna flácido e, frequentemente, inflamado e inchado. O crescimento dos adipócitos destrói a rede feita pelas fibras de elastina e colágeno e pressionam as terminações nervosas – tornando a celulite dolorosa, quando pressionada ou durante exercícios.

Celulite – diferentes tipos

Celulite dura ou sólida pode, algumas vezes, ser difícil de ser identificada imediatamente, pois ela se afixa à estrutura muscular e não se levanta muito facilmente. Este tipo é muito comum em pessoas ativas, como dançarinos.

A celulite mole não é tão concentrada como a celulite dura, mas ocupa largas áreas, é mais frouxa e mais visível, pois se pendura e se acumula. A celulite mole é menos firme que a dura, mas resulta em má tonificação muscular e a pele se dilata facilmente.

Como acabar com a celulite de vez

Para combater a celulite é necessário prestar atenção aos seguintes pontos:

  • Dieta: Seguir uma dieta purificaste e evitar alimentos que possam contribuir com formações tóxicas. 
  • Respiração: Para facilitar a oxigenação apropriada no sangue e para assistir os pulmões na remoção das toxinas, uma respiração apropriada deve ser seguida.
  • Exercícios: Fazer exercícios estimula a circulação e aumenta o metabolismo, melhorando o tônus muscular e firmando os tecidos.
  • Eliminação apropriada de resíduos: A pele (o maior órgao do corpo), os rins e os intestinos devem ser capaz de eliminar toxinas.

Se você sofre de prisão de ventre, deve se tratar imediatamente, pois a constipação intestinal é uma das maiores, se não a maior causa de celulite. Para remediar o problema de constipação intestinal não use laxantes que podem irritar o cólon.

Opte por produtos que aumentam o volume das fezes, como psyllium husks, e deixe-os fazerem o trabalho – eles não irritam, nem causam dependência laxativa e podem ser utilizados diariamente.

Os rins podem ser auxiliados pelo aumento da ingestão de fluidos e pelo conseqüente aumento do volume de urina. A pele deve ser enriquecida pelo suor e pela perspiração, para assistir na eliminação das impurezas.

  • Relaxamento: Para que o organismo funcione correta e inteiramente, o stress deve ser reduzido, com seu corpo e sua mente em sintonia.
  • Massagem: Nas massagens, as áreas afetadas pela celulite são as escolhidas para estímulo da circulação, especialmente as áreas não muito trabalhadas por exercícios, tais como, a parte interna dos joelhos e a parte superior da coxa.

Dermacaps Entenda como muitas pessoas estão fortalecendo as articulações e aumentando a força dos cabelos com o íncrível colageno em capsulas: Dermacaps!!!

Hérnia – o que é, sintomas, tratamento, causas e cirurgias

A hérnia é uma condição que se caracteriza pelo deslocamento de um tecido/órgão ou parte dele para uma cavidade anormal no corpo. Quando ocorre, a região afetada ganha uma protuberância, possibilitando identificar, claramente, um crescimento anormal da área.

Sintomas

  • Dores na área afetada, que ficam mais intensas ao realizar esforços físicos ou então ficar em pé por um logo período, tossir ou fazer esforço para evacuar;
  • Inchaço na região da hérnia, deixando a pele com uma protuberância/irregularidade fácil de ser notada;
  • Constante sensação de náusea e vômito. Estes dois sintomas, inclusive, costumam ser comuns em casos de hérnia abdominal em estágio mais avançado, quando há necrose do tecido ou rompimento de parte do intestino.

Áreas de incidência

Abdômen: trata-se da área mais comum. Segundo o Ministério da Saúde, entre 3% a 8% dos casos de hérnia no Brasil ocorrem na região abdominal.

Existem quatro tipos de hérnia que afetam essa área.

Uma delas é a hérnia inguinal, que ocorre entre a parte inferior do abdômen e a virilha. Esta variação atinge até 80% dos pacientes, sendo, em sua maioria, homens, sobretudo, os que estão no início da vida profissional. Em determinados casos, a hérnia pode expandir-se e atingir os testículos, passando a receber o nome de inguinoescrotal.

Outro tipo é a hérnia umbilical, que ocorre na região da cicatriz umbilical. Curiosamente, essa variante é bastante frequente em recém-nascidos e bebês um pouco maiores.

Há, ainda, quem tenha a hérnia epigástrica, que tem incidência na linha acima do umbigo, atingindo homens e mulheres de maneira igual, tanto adultos como terceira idade;

Coluna: é a famosa hérnia de disco, em que ocorre um abaulamento de um ou mais discos vertebrais, causando dores nas costas e problemas ortopédicos de pequena a grande gravidade;

Músculo: ocorre durante a prática de atividades físicas. O músculo incha ao ponto de criar uma protuberância, deixando irregularidades pela perna ou pelo braço. A hérnia muscular tende a desaparecer ao fazer repousos, mas há casos mais graves que necessitam de acompanhamento médico;

Cérebro: a hérnia cerebral pode ser causada pelo aumento da pressão intracraniana ou algum defeito na formação do sistema cerebral. De modo geral, nessa variante há o avanço do tecido ou líquido do cérebro, ou, ainda, de vasos sanguíneos, para espaços/cavidades não normais;

Cicatriz: também chamada de hérnia incisional, este tipo ocorre com incisões cirúrgicas. Tende a afetar mais pessoas com idade avançada, especialmente aquelas que já passaram por mais de uma cirurgia.

Causas

Segundo especialistas, algumas situações podem levar ao aparecimento da hérnia, entre as quais:

  • Levantamento de peso em excesso, seja durante a prática de exercícios ou no trabalho, caso tenha um cargo operacional que exija grande esforço físico;
  • Tosse excessiva ou fazer força para evacuar, especialmente quando essas situações são frequentes, aumentando a pressão interna no corpo;
  • Pré-disposição ao problema, como pessoas com má formação congênita cerebral ou com fibrose cística.

Diagnóstico

A hérnia costuma ser uma condição simples de ser identificada pelo paciente, por conta da protuberância que costuma deixar na pele. Mas, o diagnóstico sempre deve ser feito por um profissional.

O clínico geral é o médico mais indicado para diagnosticar a doença. Raramente é preciso realizar exames laboratoriais, porém, pode ser que o especialista solicite uma ultrassonografia para identificar a extensão do problema.

Tratamento

O primeiro cuidado adotado pelo médico é o monitoramento da hérnia, especialmente quando diagnosticada em estágio inicial. Esta medida é comum porque, em alguns casos, o tecido deslocado pode retornar naturalmente ao seu local original.

Caso não haja a solução natural do quadro, o tratamento padrão é a cirurgia, que fará o tecido saliente retornar ao seu lugar original. Há dois tipos de intervenção cirúrgica, sendo a mais tradicional a aberta, em que é feita uma abertura cirúrgica na região afetada.

Outro tipo de cirurgia que pode ser indicada é a laparoscopia, que tende a ser a mais recomendada porque é a menos invasiva. Utiliza-se câmera e tubos finos inseridos em cortes pequenos no paciente para empurrar o órgão ou tecido ao seu lugar original.

Durante a cirurgia, também é feito o fechamento da cavidade da hérnia, utilizando uma tela que possui material resistente. Assim, elimina-se o risco de haver uma reincidência da condição.

Eventualmente, o médico pode indicar medicamentos específicos, como analgésicos, para aliviar sintomas da hérnia, possibilitando que o paciente tenha melhor qualidade de vida até o momento da cirurgia para correção do problema.